Fale com o Presidente Miguel Torres
11 3388.1073 Central de Atendimento 11 3388.1073
Radio Peao Brasil Luta Sindical

Miguel Eduardo Torres – Presidente

miguel640-3.
Data de nascimento: 01/10/1958
Tornou-se sócio: 12/10/1982
Naturalidade: São Paulo/SP
Sindicato – 14º Andar – Sala 1402
Tel: 3388.1003
Fax: 3388.1031

migueltorres@metalurgicos.org.br

Miguel Eduardo Torres é presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, da CNTM (Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos) e interino da Força Sindical. Foi eleito presidente do Sindicato, pela primeira vez, em 1º de dezembro de 2011.

Miguel Torres nasceu em 1º de outubro de 1958, em São Paulo. É casado pela segunda vez e pai de três filhas. Começou a trabalhar na área metalúrgica aos 14 anos, tendo passado pelas empresas Parafusos Jamberth, Ind. Coimbra, Honda Motor, Faróis Cibie e Ind. Elet. Cherry.

Ativista sindical desde 1979, esteve sempre à frente nas lutas e conquistas da categoria metalúrgica. Em 1998, Miguel coordenou a Campanha de Arrecadação e Distribuição de Alimentos aos Irmãos Nordestinos (campanha contra a fome) e, em 2000, coordenou, juntamente com o então deputado federal Luiz Antonio de Medeiros, a vitoriosa Marcha para Brasília pelo pagamento das perdas do FGTS e pelo Salário Mínimo. Em 2002, foi  membro titular do Conselho Nacional da Assistência Social (CNAS).

Ajudou a promover a Campanha Salarial Emergencial, os Ciclos de Debates e Cursos de Formação de Delegados Sindical – foi o coordenador dos cursos – e o 10º Congresso dos Metalúrgicos de São Paulo, entre outras ações de aproximação do Sindicato com a base, mobilização da categoria e fortalecimento da entidade.

Em 2004, foi um dos coordenadores da vitoriosa Campanha Salarial que garantiu aumento real de salário e a manutenção dos benefícios da categoria.

Em sua trajetória na diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, Miguel já havia ocupado anteriormente os cargos de suplente de diretoria (a partir de 1997), 3º Vice-Presidente (a partir de agosto de 2001) e, em 2003, Secretário-Geral (interino). Em dezembro de 2004, foi eleito Secretário-Geral do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, com 96,2% dos votos.

Em 2006, Miguel Torres desligou-se temporariamente de suas atividades sindicais para ser o coordenador da vitoriosa campanha do deputado federal Paulinho da Força, o 6º mais votado no Estado de São Paulo e o 12º mais votado de todo o País, com 287.443 votos.

Em 2007, Miguel Torres coordenou a vitoriosa Campanha Salarial que garantiu um reajuste salarial de 7,45%, com 2,6% de aumento real e novos benefícios. Um dos melhores acordos salariais do País.

Em dezembro deste mesmo ano, Miguel foi um dos principais coordenadores da 4ª Marcha dos Trabalhadores para Brasília (5 de dezembro), que teve como lema “Mais e Melhores Empregos” e contou com a participação de cerca de 40 mil trabalhadores.

Na ocasião desta histórica manifestação pela jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, sem redução salarial, e pela ratificação da Convenção 151 da OIT (Organização Internacional do Trabalho), que estabelece o direito de organização e de negociação coletiva do trabalho no setor público, e a Convenção 158 da OIT, que não permite demissões arbitrárias, sem justa causa (demissão imotivada), Miguel Torres, então secretário-geral do Sindicato afirmou: “fomos vitoriosos nas marchas anteriores, onde conseguimos firmar uma política permanente de valorização do salário mínimo. O Brasil precisa continuar se desenvolvendo com mais e melhores empregos, distribuição de renda e justiça social”.

Miguel Torres, diante do triste e inesperado falecimento do companheiro Eleno Bezerra, assumiu a presidência do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, no dia 22 de setembro de 2008, com o apoio unânime da diretoria da entidade e da direção da Força Sindical.

Nas eleições para a nova diretoria do Sindicato, realizadas nos dias 9, 10 e 11 de dezembro de 2008, Miguel Torres foi confirmado como presidente, pela Chapa 1, obtendo 52.357 votos, o que representa 96,3% dos votos válidos.

Coordenou o 11º Congresso dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, evento histórico para a categoria e para o movimento sindical brasileiro – reunindo 1.300 delegados sindicais, de 500 empresas, no Palácio do Trabalhador, em São Paulo, nos dias 17, 18 e 19 de junho de 2009.

Miguel Torres tomou posse como presidente do Sindicato em 19 de junho de 2009, no encerramento do 11º Congresso, para o mandato 2009/2013, com o compromisso de colocar em prática as ações de aproximação do Sindicato com a base, de mobilização da categoria e de fortalecimento da entidade.

Já no 6º Congresso da Força Sindical, realizado nos dias 29, 30 e 31 de julho de 2009, que reelegeu Paulinho presidente, Miguel Torres foi eleito vice-presidente da central sindical.

Diante dos novos desafios, Miguel Torres liderou a luta pela redução da jornada para 40 horas semanais, sem redução nos salários, para gerar emprego e mais qualidade de vida para a classe trabalhadora, e coordenou as vitoriosas campanhas salariais de 2009, 2010, 2011 e 2012 para a categoria metalúrgica em São Paulo e Mogi das Cruzes, de forma unificada com outros 52 sindicatos no Estado de São Paulo, com aumento real e avanços sociais.

Em 1º de dezembro de 2011 é eleito presidente da CNTM – Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos (Força Sindical), que tem 157 entidades filiadas, que representam mais de 1,2 milhão de trabalhadores metalúrgicos no Brasil.

Nos dias 7 e 8 de outubro de 2015, coordenou o Seminário Nacional do Setor Metalúrgico da CNTM, com debates sobre “O Brasil diante da Desindustrialização e o Ajuste Fiscal, Desafios atuais e futuros do Movimento Sindical, Desempenho da Indústria Metalúrgica no Brasil” e lançamento da proposta de Renovação da Frota de Veículos.

Em 30 de novembro de 2015, em assembleia eleitoral realizada em Brasília, foi reeleito presidente da CNTM para o mandato 2015/2019.

Foi um dos idealizadores do movimento “Grito de Alerta – Em defesa da Produção e do Emprego”, que em 2012 reuniu trabalhadores, sindicalistas e empresários em atos contra a desindustrialização do País.

Assumiu provisoriamente a presidência da Força Sindical de outubro de 2013 a janeiro de 2016.

Em 2014 liderou a 6ª Marcha da Classe Trabalhadora e outras manifestações do movimento sindical unificado em defesa da Pauta Trabalhista: contra as terceirizações, pelo fim do Fator Previdenciário e pela redução da jornada de trabalho para 40 horas semanais, sem redução salarial, com expressiva participação da categoria metalúrgica em conjunto com outras categorias em todo o País.

Em novas eleições em agosto de 2016, foi reeleito presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes para a gestão 2017-2021. Em 2017 criou, juntamente com outros líderes metalúrgicos de todo o País e de todas as centrais sindicais, o Movimento Brasil Metalúrgico, ampliando as lutas de resistência contra os ataques à estrutura sindical e contra os ataques aos direitos sociais, trabalhistas e previdenciários da classe trabalhadora.

Em 5 de junho de 2018, no lugar de Paulinho da Força, que se licenciou para cuidar da campanha eleitoral, Miguel Torres assumiu interinamente a presidência da Força Sindical. Tem coordenado debates no Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes com os pré-candidatos a presidente da República e, juntamente com os outros líderes da Força Sindical e demais centrais, tem encaminhado a Agenda da Classe Trabalhadora por Democracia, Soberania e Desenvolvimento, com Justiça Social, Trabalho e Emprego no Brasil.