Fale com o Presidente Miguel Torres
11 3388.1073 Central de Atendimento 11 3388.1073
1
Radio Peao Brasil Luta Sindical

Centrais contra o fim da aposentadoria, pela valorização da educação e por emprego

Miguel Torres, presidente da Força Sindical, CNTM e Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes

A reunião com representantes das centrais sindicais foi realizada nesta sexta, 28 de junho, no Dieese, em São Paulo, para debater as atividades realizadas recentemente em Brasília, em busca de apoio parlamentar contra a reforma da Previdência do governo, e reforçar as ações também já em andamento como o abaixo-assinado a ser entregue no Congresso Nacional e a mobilização dos trabalhadores nas empresas, fábricas, bairros e locais de grande concentração popular.

Para Miguel Torres, presidente da Força Sindical, CNTM e Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, a classe trabalhadora e os segmentos sociais mais vulneráveis do País precisam do movimento sindical unificado nesta grande ação em defesa das aposentadorias, da Seguridade e da Previdência Social. “Estamos também na luta por medidas que garantam a retomada do desenvolvimento, com valorização da indústria nacional e geração de emprego de qualidade para todos”.

João Carlos Gonçalves, Juruna, secretário-geral da Força Sindical e diretor do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes

Centrais sindicais mobilizadas:

Contra o fim da aposentadoria, pela valorização da educação e por emprego

As Centrais Sindicais, reunidas em São Paulo em 28 de junho, avaliaram os resultados do importante trabalho feito pelos sindicalistas com os parlamentares dos partidos da minoria e partidos do centro na Câmara dos Deputados, para debater o conteúdo da Reforma da Previdência e o processo legislativo de votação. Neste processo, as entidades reafirmaram o posicionamento contrário e crítico ao relatório substitutivo do deputado Samuel Moreira.

As Centrais alertam que os trabalhadores e as trabalhadoras devem se manter permanentemente vigilantes e destacam a importância de se reforçar a atuação junto ao Congresso Nacional, visando tratar das questões e do conteúdo dessa nefasta reforma.

Nesse sentido, as Centrais Sindicais conclamam os trabalhadores e as trabalhadoras para o máximo esforço na atuação junto às bases dos deputados e senadores.

Na reunião do dia 28, o Fórum dos Trabalhadores do Setor Público de São Paulo entregou às Centrais abaixo-assinados com milhares de assinaturas.

No encontro, registrou-se o ataque que o Sindicato dos Metroviários de São Paulo vem recebendo da empresa e as demissões de trabalhadores metroviários. As Centrais Sindicais se solidarizaram com os trabalhadores e a entidade.

Os sindicalistas também manifestaram repúdio pelas práticas antissindicais observadas em outras unidades do país e em outros locais do estado e, por isso, as Centrais vão solicitar audiência com o governador de São Paulo para um diálogo no sentido de garantir o direito de organização e manifestação.

Os próximos passos unitários das Centrais serão os seguintes:

  • Julho será o mês para intensificar, todos os dias, nos locais de trabalho, nas praças e nos locais públicos, a coleta de assinaturas no abaixo-assinado contra o fim da aposentadoria. O prazo para conclusão da coleta de assinaturas é 4 de agosto. Solicitamos a todos que organizem atividades conjuntas de coleta das assinaturas.
  • Prazo para a entrega dos abaixo-assinados na sede nacional da sua Central Sindica: 8 de agosto.
  • Entrega do abaixo-assinado das Centrais no Congresso Nacional: 13 de agosto, em Brasília.
  • Apoiar, valorizar e participar do Ato Nacional dos estudantes durante o Congresso da UNE, em Brasília, em 12 de julho, pela valorização da educação, incluindo a defesa da aposentadoria. No mesmo dia, a orientação é para que a classe trabalhadora se mobilize nos estados e nas cidades pela coleta de assinaturas dos abaixo-assinados.
  • Apoiar e participar da Marcha das Margaridas em 14 de agosto, também em Brasília.
  • Apoiar e participar da luta dos professores, coordenada pela CNTE, em 13 de agosto.
  • Próxima reunião das Centrais Sindicais: 16 de julho.

CUT – Central Única dos Trabalhadores

Força Sindical

UGT – União Geral dos Trabalhadores

CTB – Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil

NCST – Nova Central Sindical de Trabalhadores

CSB – Central dos Sindicatos Brasileiros

CGTB – Central Geral dos Trabalhadores do Brasil

CSP – Conlutas – Central Sindical e Popular Conlutas

Intersindical – Instrumento de Luta e Organização da Classe Trabalhadora

Intersindical – Central da Classe Trabalhadora

Pública – Central do Servidor