Fale com o Presidente Miguel Torres
11 3388.1073 Central de Atendimento 11 3388.1073
Logo 9ª Copa Tabelas Completas
Pontuações Jogos Realizados
Luta Sindical

Metalúrgicos garantem a renovação da Convenção Coletiva de Trabalho

Miguel Torres, presidente do Sindicato, comandou a assembleia

Cerca de 1.200 trabalhadores metalúrgicos aprovaram, em assembleia agora à noite, no Sindicato dos Metalúrgicos de São paulo e Mogi das Cruzes, as propostas de acordo salarial feitas pelos grupos patronais 3 (autopeças),  Simefre (materiais ferroviários), Sinafer (artefatos de ferro e ferramentas) e Fundição, garantindo a manutenção da Convenção Coletiva de Trabalho, com todas as cláusulas, incluindo as de estabilidade para os acidentados e portadores de doenças profissionais;  data-base em 1º de novembro, reposição das perdas com a inflação (INPC) dos últimos 12 meses encerrados em outubro (de 1,8%), abono de 15% em três parcelas.

O acordo aprovado inclui cláusula de salvaguarda em relação à aplicação da reforma trabalhista, como proteção para que a gestante não trabalhe em local insalubre, obrigatoriedade das homologações serem feitas no sindicato, proibição à terceirização de atividades fins, e que as partes voltarão a se reunir em março de 2018 para discutir os impactos da lei (reforma) trabalhista.

O presidente do Sindicato, Miguel Torres, expôs para os trabalhadores as dificuldades das negociações deste ano, que estão se dando sob o manto da reforma trabalhista e do desemprego.

Presidente Miguel Torres

“Nunca tivemos tantas agressões aos direitos dos trabalhadores. Entramos na campanha salarial com objetivo de defender a convenção coletiva, que garante proteção aos trabalhadores. Não recebemos contrapropostas de todos os grupos patronais, porque eles querem que os trabalhadores fiquem sem convenção, para aplicarem a lei trabalhista do jeito que quiserem. O acordo que celebramos é o parâmetro mínimo e vamos buscar acordos diretos com as empresas dos grupos que não chegaram a um entendimento conosco”, afirmou o presidente.

A Campanha Salarial é unificada. Reúne 53 sindicatos de metalúrgicos no Estado, filiados à Federação dos Metalúrgicos do ESP e à Força Sindical e envolve cerca de 700 mil trabalhadores.

Diretoria do Sindicato e Trabalhadores – Foto: Denis (Box Mídia)

Secretário-Geral Arakém – Foto: Jaélcio Santana

Foto: Denis Benvenuti (Box Mídia)

Foto: Jaélcio Santana

 

Comentários

  • Altar naffin 29/11/2017 11:06

    O empregado tem direito a cesta básica?

    • Resposta do Sindicato: Caro Altar, a cesta básica não é um direito garantido por lei, mas é um benefício conquistado pela luta do Sindicato com os trabalhadores, mobilizados, por meio de negociação com a empresa.

  • Sani Ederson 27/11/2017 18:59

    boa noite, o grupo 10 tb entra nesse acordo que foi fechado?

    • Resposta do Sindicato: Sani, o grupo 10, comandado pela Fiesp, não chegou a um entendimento com o Sindicato e não assinou a convenção. O grupo quer anular cláusulas da convenção coletiva, entre elas, as que garantem estabilidade no emprego aos acidentados no trabalho e as portadores de doenças profissionais, aos que estão próximos de se aposentar, quer reduzir o adicional noturno, que tem percentual acima do fixado em lei, entre outras. O Sindicato também não aceita homologação na empresa, sem o Sindicato. É uma postura de defesa da nossa convenção, que garante direitos que foram retirados pela nova lei (reforma) trabalhista e é um instrumento de defesa dos direitos.

  • Marli Inês 26/11/2017 05:01

    Bom dia.

    O grupo 19-3, assinou este acordo?

    Obrigada

    Marli

    • Resposta do Sindicato: Prezada Marli, o Grupo 19-3 não assinou a convenção coletiva, apenas dois sindicatos patronais que eram do grupo, o Simefre e o Sinafer, assinaram a convenção

  • marivaldo fornazin 25/11/2017 15:52

    Mesmo com a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) de reduzir mais uma vez a taxa básica de juros, a Selic, economistas do mercado financeiro elevaram pela quarta semana consecutiva a previsão de inflação para 2017, passando de 3,06% para 3,08%.
    Já a previsão de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) foi mantida em 0,73%, segundo o relatório conhecido como “Focus”, divulgado nesta segunda-feira (30) pelo Banco Central.

  • Ivanete de Fátima Oliveira França 21/11/2017 23:03

    Parabéns a todos pelo empenho e dedicação a lutar pelos direitos dos trabalhadores uma classe tão crucificada

  • Carlos Nogueira 21/11/2017 18:46

    Prezados, na rescisão contratual, este acordo coletivo mantém a homologação dentro do Sindicato sob tutela de um assistente para o trabalhador? Caso não e o empregador insista em fazê-lo no próprio espaço da empresa, o Sindicato pode enviar um assistente? Por fim, qualquer direito suprimido pelo empregador no momento da homologação, o que os senhores sugerem? Assinamos mas como ressalvas? Antes de mais nada, obrigado pela atenção, saudações trabalhistas!

    • Resposta do Sindicato: Prezado Carlos, se a empresa não cumprir com o acordo coletivo, o trabalhador deve denunciá-la ao Sindicato, procurar o diretor responsável pelo trabalho sindical junto à empresa e denunciar. Se a empresa suprimir qualquer direito na homologação, também deve ser denunciada, o trabalhador pode se recusar a assinar a homologação ou fazer ressalvas no documento e procurar o Sindicato.

  • Bom dia então fechou o aumento em 1.8% e 15% de abono já está certo isso

    • Resposta do Sindicato: Prezado Jhonny, está certo sim. Uma coisa importante é que a Convenção Coletiva de Trabalho foi renovada, mantendo os benefícios sociais e econômicos

  • Elias Soares 19/11/2017 23:26

    O grupo dois assinou este acordo? Boa noite

    • Resposta do Sindicato: Caro Elias, o grupo 2 não assinou acordo, chegou a negociar uma proposta, mas voltou atrás.

  • Parabéns pelo empenho do presidente e os seus diretores pois sei que não está fácil .