Fale com o Presidente Miguel Torres
11 3388.1073 Central de Atendimento 11 3388.1073
1
Radio Peao Brasil Luta Sindical

4º ENCONTRO REGIONAL DA CAMPANHA SALARIAL 2018 FOI REALIZADO EM LORENA

Ocorreu neste sábado, 11 de agosto, na sede social de lazer do Sindicato dos Metalúrgicos de Lorena, o 4º Encontro Regional da Campanha Salarial 2018 liderada pela Federação dos Metalúrgicos do Estado de SP. O encontro reuniu as diretorias dos Sindicatos de Metalúrgicos de Lorena, Cruzeiro e Jambeiro.

A Federação, presidida por Eliseu Silva Costa, tem 52 sindicatos filiados, representando em torno de 700 mil metalúrgicos com data-base em novembro.

Participaram do encontro: Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes e da CNTM e interino da Força Sindical, Cláudio Magrão de Camargo Cre (secretário-geral da Federação),  Chiquinho Mococa (vice-presidente), Ricardo Rodrigues, o Teco (diretor de patrimônio), e os presidentes dos Sindicatos de Lorena (José Luiz de Souza) e de Cruzeiro (Jumar Batista), entre outros dirigentes metalúrgicos.

Já ocorreram encontros regionais em São José do Rio Preto, Marília, Mococa e, depois deste em Lorena, ocorrerão encontros em Jundiaí, Franca e São Paulo.

Miguel Torres, em sua participação, disse que é preciso apoiar as campanhas salariais em andamento dos metalúrgicos de outras centrais sindicais, explicando que os grupos patronais são os mesmos que negociam com os metalúrgicos da Força e da Federação, e defendeu uma forte mobilização com unidade de ação para fortalecer a luta pela manutenção das conquistas da Convenção Coletiva (que possui avanços além do que está na CLT), contra a aplicação da reforma trabalhista e por mais benefícios e melhorias nas condições de trabalho para a categoria.

“Não podemos eleger nem reeleger políticos que, como representantes do patronato, vão querer ampliar os efeitos negativos da reforma trabalhista, que em novembro vai completar um ano em vigor, exatamente na nossa data-base. Precisamos debater isto com os trabalhadores, defendendo o movimento sindical, a consciência de classe e as nossas estruturas de lutas em defesa dos seus interesses, direitos, benefícios e conquistas”, diz Miguel Torres.