Cobrança do adicional de insalubridade na Santa Luzia


Assembleia com coordenador Chico Pança

Os trabalhadores da Santa Luzia (zona norte) estão cobrando da empresa o pagamento correto do adicional de insalubridade e a reformulação do Plano de Cargos e Salários com redução do leque de funções e promoção da devida equiparação salarial. Segundo o coordenador do Sindicato Chico Pança, a empresa pediu prazo de 30 dias para fazer uma avaliação de cada trabalhador e promover a requalificação. Também vai fazer mapa de risco para fixar o percentual de adicional de insalubridade equivalente para cada trabalhador. A empresa fabrica cadeiras de roda e tem setores que mexem com pintura, solda, cola. Até a conclusão do laudo ela pagará um percentual de 20% para todos os trabalhadores. De acordo com a legislação, o adicional pode ser de 10%, 20% e 40%, conforme o grau de insalubridade.