Sindicato orienta trabalhadores da Kato sobre FGTS


Coordenador Adriano comandou assembleia

Em nova assembleia na terça feira (28/2), o coordenador Adriano Lateri, com o apoio do secretário-geral, Arakém, e do diretor Luisinho, coordenador do Departamento de Segurança e Saúde do Trabalhador, orientou os 220 trabalhadores da estamparia Kato, na zona leste da capital, sobre os riscos deles tomarem prejuízo com a falta de depósitos do FGTS pela empresa.

Foi informado que o Departamento Jurídico do Sindicato está à disposição dos trabalhadores para abertura de processos. Além dos atrasos nos depósitos do FGTS e do não repasse das contribuições previdenciárias ao INSS, a empresa também não repassa as mensalidades associativas descontadas dos trabalhadores para o sindicato, não aplica as equiparações salariais e não paga o adicional de insalubridade previsto em lei em alguns setores insalubres.

O presidente do Sindicato, Miguel Torres, tem orientado todos os diretores e coordenadores a intensificar as ações nas empresas que não depositam FGTS, exatamente para situações semelhantes como as ocorridas na Tubocap, que está fechando as portas, e Italspeed não se repitam.

Segundo Adriano, os trabalhadores estão mobilizados nessa luta em defesa dos seus direitos.


Secretário-geral Arakém

Diretor Luisinho