Fale com o Presidente Miguel Torres
11 3388.1073 Central de Atendimento 11 3388.1073
Logo 9ª Copa Tabelas Completas
Pontuações Jogos Realizados
Luta Sindical

Sindicato dos Metalúrgicos promove debate de Marinho, pré-candidato ao governo de SP, com dirigentes sindicais

O Sindicato promoveu nesta terça-feira um café da manhã com os candidatos do PT ao governo do Estado de São Paulo, Luiz Marinho, e ao Senado, Gilmar Tato, e dirigentes sindicais de diversas categorias e centrais sindicais.

Miguel Torres, presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Paulo e Mogi das Cruzes, CNTM e Força Sindical, falou da necessidade de o movimento sindical e a classe trabalhadora terem uma participação mais efetiva nos rumos políticos do Brasil e do Estado. “O momento é delicado. Temos que estar juntos e trabalhar para a unidade de uma agenda progressista”, afirmou.

Luiz Marinho falou do desejo de todos quererem que São Paulo volte a ser o Estado que leve desenvolvimento e tecnologia “para transformar e ajudar outras regiões do País que estão passando por sérias dificuldades”.

Marinho ouviu várias reivindicações dos dirigentes e falou da necessidade de pensarmos e olharmos uma comunicação social e alternativa de integração com a população e os trabalhadores, defendeu um processo de reindustrialização e incentivo às pequenas empresas, educação para os jovens e atenção às crianças de famílias com vulnerabilidade de renda, cujos filhos estão fora da escola e criticou a guerra fiscal.

“São Paulo tem obrigação de liderar o processo de desenvolvimento do País, sem desmontar universidades e bancos de fomento nem serviços públicos”, afirmou.

Miguel Torres falou da importância de, neste momento, fazer o debate não só em nível nacional, mas estadual.

“São Paulo tem potencial de desenvolvimento”, disse, lembrando da mudança do perfil de moradores de rua. “Multiplicou o número de pessoas vivendo nas ruas e a maioria são famílias que perderam o emprego, que não são dependentes de álcool e drogas, mas cujos filhos correm este risco. Isto é o retrato do que foi feito com o País, da falta de políticas voltadas para os trabalhadores com emprego e renda”, afirmou.

Miguel ressaltou que a Força Sindical é plural e que o apoio à candidatura de Marinho é dos sindicatos ligados a ela.

Participaram dirigentes metalúrgicos, bancários, químicos, professores, construção civil, assistentes sociais, alimentação, energia, servidores, saúde, jornalistas, aposentados, gasistas, condutores, têxteis e vestuário da capital e do Interior ligados à CUT, Força, Nova Central.

Os diretores Rodrigo, Leninha, Alsira, Luisinho, Zé Luiz, Alemão, Adriano Lateri, do nosso Sindicato, participaram do encontro.

 

 

Comentários